sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Algumas imagens a mais: Sauber

Parte II

97 Sauber C16 Petronas - N.Larini - Mônaco

Com as reservas em alta, a Sauber resolve apostar, a partir de 1997, em uma parceria técnica com a Ferrari. Incluso no pacote, o italiano Nicola Larini não consegue traduzir as expectativas da equipe em resultados. Dispensado depois de cinco corridas, o piloto volta ao seu país para a disputa do Campeonato Italiano de Turismo.

97 Sauber C16 Petronas – N.Fontana - Hockenheim

Em 2006, Norberto Fontana revelou ao diário argentino “Olé” que foi obrigado a atrapalhar Jacques Villeneuve durante a decisão do título de 1997,

"Nós estávamos no motorhome, faltavam duas ou três horas para a corrida. Todt entrou e foi direto ao que interessava: 'Por estrita ordem da Ferrari, vocês têm de atrapalhar Villeneuve se chegarem a encontrá-lo na pista. Seja quem for'. "E aconteceu comigo."

"Quando vinham para me pôr uma volta, atrapalhei Jacques por três ou quatro curvas, não mais que isso", continuou. "E isso me prejudicou. Primeiro, Schumacher nunca me agradeceu, e Todt, como perderam o campeonato, saiu de cabeça quente dos boxes e nunca mais falei com ele", disse.

97 Sauber C16 Petronas - J.Herbert - Monza

Por outro lado, Johnny Herbert realiza uma temporada bastante razoável, marcando a maioria dos pontos da equipe. Ao final da temporada, a Sauber se classificou na sétima colocação no Mundial de Construtores.

97 Sauber C16 Petronas - G.Morbidelli - Monza

No restante da temporada, a Sauber passa a fazer um rodízio entre o italiano Gianni Morbidelli e o argentino Norberto Fontana. Embora estivesse inscrito, não participou do Grande Prêmio do Japão em virtude de um acidente nos treinos.

98 Sauber C17 Petronas – J.Alesi - Mônaco

Em 1998, a Sauber optou por uma dupla bastante experiente. Com Herbert e Alesi, o time termina o Mundial de Construtores na sexta colocação.

99 Sauber C18 Petronas – J.Alesi - Mônaco

Com o dinheiro de alguns patrocinadores importante, incluindo a Parmalat, Pedro Paulo Diniz consegue o lugar de Johnny Herbert na Sauber. Após sobreviver à um terrível acidente em Nürburgring, termina o ano à frente de Jean Alesi.

99 Sauber C18 Petronas – P.Diniz - Mônaco

Ao final daquela temporada, a equipe marca apenas cinco pontos e não passa da oitava colocação no Mundial de Construtores.

00 Sauber C19 Petronas – M.Salo - Mônaco

Em 2000, a Sauber mantém Diniz e, para o lugar de Jean Alesi, contrata o veterano Mika Salo, que marca os seis pontos conquistados pelo time na temporada. No Mundial de Construtores, a escuderia suíça termina mais uma vez na oitava colocação.

00 Sauber C19 Petronas – P.Diniz - Melbourne

Em sua última temporada na Fórmula-1, o brasileiro passa a temporada em branco. Depois, com o dinheiro da família, adquire 40% da Prost. Responsável pela parte operacional, não consegue salvar a equipe francesa da falência. Assim, volta ao Brasil para promover a Fórmula Renault.

7 comentários:

Luís Augusto disse...

Será que volta? e com o dedo do Piquet?

Alexandre Ribeiro disse...

Caro Felipão:

Na época do Larini, o erro foi investir no italiano errado, tinham que ter dado uma oportunidade para o grande Morbidelli, talento desperdiçado pela F1.

Grande abraço.

Willian disse...

Incrível a semelhança com o design do atual carro da Red Bull que, na minha opinião, é o mais bonito do grid.

Ron Groo disse...

Eram muito bonitas as Sauber antes da BMW.

Teca disse...

Sempre aprendendo quando venho aqui...

Valeu, Felipão!

Saubers bonitas...

Beijos.

GP Oficina Mecânica disse...

É a Sauber pode não ter sido a melhor equipe de F1, mas que tinha um dos carros mais bonitos não tem como negar...

Carlos Eduardo Szépkúthy

Jobson Mendes disse...

Pobre Peter Sauber foi iludido na F-1 com as promessas de três montadoras: Mercedes-Benz, Ferrari e por último BMW. Por onde andará Pedro Paulo Diniz? Essa declaração do Norberto Fontana sobre a Ferrari retrata ainda mais o egocêntrismo dos italianos!

Valeu Felipão!