terça-feira, 2 de junho de 2009

GM, Opel, concordata, Obama...

Ontem, saiu o anúncio de concordata da GM. Trata-se da terceira maior quebra de empresa da história americana, perdendo apenas para o Lehman Brothers e a MCI World.Com. Por isso, o governo dos Estados Unidos injetou US$ 30,1 bilhões de dólares na companhia, tornando-se sócio majoritário com 60% das ações. Mais US$ 9,5 bilhões vieram do governo do Canadá, dono, agora, de uma fatia de 12% do bolo.

A empresa se torna uma espécie de estatal, o que garante, automaticamente, sua sobrevivência. Segundo Barack Obama, a GM não poderia ficar sem ajuda, pois a falência definitiva traria terríveis consequências a outros setores da economia. Além disso, o dirigente se comprometeu a não interferir "muito" nos rumos da empresa.

De acordo com os planos de reestruturação, a GM tem intenção de produzir carros menores e mais econômicos para o mercado dos Estados Unidos. Inclusive, existe a expectativa de que a companhia busque soluções na lucrativa subsidiária brasileira.

Os últimos dias foram bastante agitados na história da GM. Na última sexta-feira, um consórcio formado pelo Magna Group, fabricante canadense de auto-peças, o banco russo Sverbank e a Gaz, um fabricante russo de carros de luxo, adquiriu 55% da Opel.

O negócio foi aprovado pelo governo alemão, que se comprometeu a emprestar 1,5 bilhões de euros para a concretização do negócio. A General Motors preservou 35% das ações na empresa, enquanto outros 10% ficaram nas mãos de trabalhadores da montadora alemã. Com essa medida, espera-se a reestruturação da divisão europeia da GM, que ficará protegida durante o processo de concordata da matriz.

8 comentários:

Ron Groo disse...

Ok, eu sei que se a GM fechar vai muita gente boa ficar sem emprego, mas não penso que Obama tenha de savar a empresa.
Cade aquele monte de executivos que deixaram a empresa chegar neste ponto?
Quem cavou o buraco que o tape.

Marcos Antônio Filho disse...

é sempre assim,o governo tem sempre que salvar as empresas. O contrário,seria impossível...

Germano disse...

a GAZ não faz caminhões...fazem carros de luxo

mas afinal de contas...a GM tá repassando as marcas européias todas ou só algumas? Estão falando muito da Opel...e a Vauxhall? vai rodar?

Felipe Maciel disse...

Tomei um susto enorme quando ouvi a palavra concordata. Os jornais dão metade da notícia deve ser justamente pra isso. Mas depois, quando passou a matéria completa, veio o alívio de saber que o Obama prontamente reagiu.
A GM não pode acabar, seja lá como eles pretendem administrar a coisa, é necessário que tudo se mantenha de pé. Tomara que as próximas decisões sejam acertadas.
É lamentável que um empresa que há pouquíssimos anos era a líder mundial, agora estar à beira do precipício.

Helio Herbert disse...

Acho errado o Governo investir dinheiro público para "salvar" empresas em dificuldade.Quando as empresas tem lucro fantástico o dinheiro não é dividido com o povo,porque então o prejuízo é...
Porque outras empresas automobilística no passado que tiveram dificuldade foram para o "Espaço" e quebraram sem que o governo as ajudasse?

Felipão disse...

Valeu, Germano...

Já alterei no texto...

De Gennaro Motors disse...

realmente está foi a unica maneira de resolver isso!

Paulo Maeda™ disse...

perae pessoal, o Governo salvando a GM da falência tb está preservando o DINHEIRO DO POVO. Ou vcs iram gostar de ver a GM quebrar lá, dezenas de milhares de novos desempregados, (mais) uma crise financeira.... pensem se isto acontecesse aqui no Brasil, eu acho que ajuda do Governo se isso acontecesse com a GM brasileira seria muito bem vinda e sensata. Agora, que m..... hein uma Gigante dessas falir, eles deveriam ter pensando há muito tempo atrás em fazer estes carros mais compactos. E li ontem que a Hummer foi comprada por um grupo chinês. Flw