quinta-feira, 11 de março de 2010

Bruno Senna Lalli

A Fórmula-1 é imbatível na arte de produzir lembranças marcantes. Um momento aparentemente banal pode ficar por anos gravados nas nossas memórias.

"Bruno Senna"

Podemos citar, como exemplo dessa teoria, a imagem da emblemática apresentação de Bruno Senna à imprensa especializada da categoria.

Usando um boné azul e um macacão com a estampa de um banco, assim como o tio, Senna contou um pouco sobre os preparativos da HRT, que vai estrear em um Grande Prêmio sem nunca ter ido à pista

Em entrevista ao jornalista Luis Fernando Ramos, garantiu, inclusive, que "o ritmo de trabalho está sendo tranqüilo". "Eles não estão correndo," disse.

"Não tem desespero na garagem. É impressionante pensar que nosso mecânico hidráulico entrou na equipe segunda-feira, montaram o carro em 2 dias e fizeram coisas funcionarem. É uma coisa fora do comum."

Por fim, mostrou serenidade ao falar de suas expectaticas. "Pode parecer comum, mas para mim parece o melhor carro do mundo. Depois de fazer algumas voltas não vou achar a mesma coisa, mas é uma virtória tão grande para a equipe estar aqui e meu foco é ajudar no que eu posso, porque a atitude do piloto influencia muito."


Confira também:

2s4 para a Ferrari
À espera de um milagre
Rosberg registra o melhor tempo do dia no Bahrein
Começou

Um comentário:

Speeder_76 disse...

Vi a imagem e reparei em todos os tipos de paralelismos: capacete, cor do boné e até o seu patrocinador pessoal, um banco.

E o ar que demonstra e de um certo contentamento por estar onde está. Chegou lá, é o importante. Agora vem a parte mais difícil: tornar competitiva aquela máquina, completamente virgem, zero quilómetro. É uma tarefa no mínimo hercúlea...