domingo, 29 de novembro de 2009

II - Trípoli, 12 de Maio de 1940

1940 tripoli gp - giuseppe farina (alfa-romeo 158) 1st

O vencedor Giuseppe Farina

Longe das glórias das pistas, Robert Benoist, "Ulli" Bigalke, Rudolf Hasse, Percy Maclure, Tim Rose-Richards, Teddy Rayson, Johnnie Wakefield, "W Williams" e Norman Wilson perderam a vida em combate durante a Segunda Guerra Mundial.

Mas nada disso impediu que a Itália, através de sua “Comissione Sportiva Automobilistica”, planejasse a realização de um Campeonato, em 1940, utilizando a fórmula dos “voiturettes” com motores de 1,5 litro.

Para sediar a etapa de abertura, os organizadores escolheram Tripoli, cujo circuito de 13 km (localizado no entorno do Lago Mellaha) oferecia uma das maiores médias horárias da época.

Com a autoridade de quem havia vencido a prova nos três anos anteriores, a Mercedes anunciou que poderia participar da corrida com quatro modelos W165. O chefão Alfred Neubauer, no entanto, reconsiderou e desistiu, pois a caravana alemã poderia se tornar alvo de ataques aliados durante o percurso.

Rancor

Mesmo com vaga garantida na equipe oficial da Maserati, Tazio Nuvolari tentou disputar a corrida pela Alfa Romeo.

O pedido, porém, não foi atendido pela direção da escuderia. Afinal, dois anos antes, em Pau, “Il Mantovano Volante” afirmou que nunca mais pilotaria para a Alfa Corse, após ter sido vítima de um incêndio em seu bólido.

Magoado e descontente com o rendimento do Maserati 4CL, Nuvolari desistiu da disputa e cedeu o lugar para seu compatriota Franco Cortese.

A corrida

Logo, a boa forma exibida pelo Alfa 158, que impressionou Nuvolari, foi confirmada na prática, quando Giuseppe Farina (o pole), Clemente Biondetti e Carlo Felice Trossi assumiram as três primeiras posições à frente de uma legião de Maseratis.

Constituída por aqueles que se destacavam na linha de produção e nos testes com carros de passeio, a Alfa Romeo mostrou que, com a ausência dos alemães, haviam se constituído na nova força dos Grand-Prix.

Fato que ficou evidente, principalmente, durante as paradas nos boxes. Enquanto Farina levou 24 segundos para reabastecer, Villoresi foi devolvido à pista pelos mecânicos da Maserati após 57 segundos.

Estrela da Officine Maserati, Villoresi conseguiu diminuir um pouco da diferença no braço, mas não o bastante para impedir a trinca da Alfa Romeo, com Farina, em primeiro, Biondetti, em segundo, e Trossi, em terceiro.

Em 10 de Junho de 1940, o Reino da Itália declarou Guerra à França, obrigando a CSAI cancelar, imediatamente, os eventos de Livorno, Pescara e, mais uma vez, Monza.

Por fim, a Alfa Romeo e a Maserati suspenderam as atividades na fábrica. Agora o “Eixo” Roma-Berlim estava definitivamente em Guerra contra os aliados.

Resultado:

1 Farina (Alfa Romeo 158 1.5L *) 1:54:16.4
2 Biondetti (Alfa Romeo 158 1.5L *) + 29.5
3 Trossi (Alfa Romeo 158 1.5L *) + 52.9
4 L Villoresi (Maserati 4CL 1.5L **) + 1:07.1
5 Cortese (Maserati 4CL 1.5L **) + 8:25.1
6 Pintacuda (Alfa Romeo 158 1.5L *) + 8:34.9
7 Brezzi (Maserati 6CM 1.5L ****) + 10:44.8
8 Taruffi (Maserati 4CL 1.5L ****) - 1 lap
9 Ascari (Maserati 6CM 1.5L ****) - 2 laps
10 Rocco (Maserati 4CL 1.5L) - 2 laps
11 Romano (Maserati 6CM 1.5L) - 3 laps
12 Balestrero (Maserati 6CM 1.5L ****) - 3 laps
13 Bianco (Maserati 4CL 1.5L) - 3 laps
14 Palmieri (Maserati 6CM 1.5L) - 3 laps
15 E Platé (Maserati 6CM 1.5L) - 4 laps
16 Baruffi (Maserati 6CM 1.5L) - 6 laps
DNF Ruggeri (Maserati 6CM 1.5L ***) 16 laps
DNF Quartara (Maserati 6CM 1.5L ***) 5 laps
DNF Barbieri (Maserati 6CM 1.5L) 4 laps
DNF Teagno (Maserati 6CM 1.5L ****) 3 laps
DNF Pagliano (Maserati 6CM 1.5L) 1 lap
DNF Moradei (Maserati 6CM 1.5L) 1 lap

Melhor volta: Farina (Alfa Romeo) 3:40.91

* Inscrito pela Alfa Corse
** Inscrito pela Officine Alfieri Maserati
*** Inscrito pela Scuderia Ambrosiana
**** Inscrito pela Scuderia Torino

7 comentários:

Bruno Santos disse...

Sensacional vitória da Alfa Romeo, e esse episódio do Nuvolari é difícil acreditar, rs.

Detalhe interessante que o Farina fez a melhor volta com 3:40, mas a diferença para o sétimo era de mais de 10 minutos. Isso que é perda de rendimento.

Joel Marcos Cesetti disse...

Parabéns pela bela lição de história,


abs

Helio Herbert disse...

Cada vez melhor Felipão.

Daniel Médici disse...

Incrível a incapacidade do ser humano e não se dar conta do momento histórico em que vive. A guera mais sangrenta da história da humanidade ocorrendo e o caras o que fazem? Promovem uma corrida.

Teca disse...

Felipão e demais meninos:

Esse blog é um verdadeiro baú cibernético do automobilismo. Quanta história, quanto conhecimento... eu sou gamada em vir aqui ler essa galerinha toda.

Os comentaristas também são verdadeiros contribuintes... e eu fico só aproveitando...

Caramba! Um espetáculo!

Beijos admirados.

Felipão disse...

Valeeeeeeeeeeeeeeeu

Marcelonso disse...

Grande Marcão,


Como sempre uma verdadeira enciclopédia do automobilismo.
Bela aula professor,mais uma que aprendo.

abraço