sexta-feira, 3 de julho de 2009

De A a Z: Toninho da Matta

O envolvimento de Toninho da Matta com as corridas teve início no kart, em 1966. Depois, foi correr de turismo, onde conquistou 14 títulos nacionais. Entretanto, optou por esse tipo de competição após sofrer um grave acidente com um protótipo na Copa Brasil. Assim, ficou dois anos afastado das pistas, em recuperação.

O primeiro título veio em 1978, correndo de Passat no Campeonato de Turismo de Série. Com o passar do tempo, perdeu as contas de quantos troféus já havia ganho, em razão dos inúmeros campeonatos nacionais e regionais que conquistou. "Devo ter uns 450, 500 troféus. Só aqui em casa, guardados, tem uns 280" calcula.

"Se tivesse ido para a Europa no começo dos anos 70, provavelmente obteria sucesso. Não falo isso por arrogância. Corri muito com Emerson, Wilsinho e Moco. Cansei de andar na frente e atrás deles. Ganhei de todos e perdi para todos. Logo, considero que tínhamos o mesmo nível. Mas nossos caminhos foram diferentes".

E isso foi comprovado ao longo da carreira, seja no kart, com Opala ou Passat. Inclusive, vale a pena visitar a parte histórica do site do Toninho, onde sua trajetória é contada através de relatos e fotos históricas. A que ilustra esse post, retirada do Blog do Saloma, mostra um "pega" histórico entre Toninho e Camilo Cristófaro no Festival de Velocidade, realizado em Interlagos, em 1970.

"A prova para carros de turismo, esporte e protótipo do Festival de Velocidade, em Interlagos, foi realmente sensacional. A competição, dividida em duas baterias de 8 voltas cada, teve um desenrolar dos mais emocionantes, principalmente na primeira bateria, quando Camilo Cristófaro, numa carreteira Chevrolet e Toninho da Matta, num Opala, foram protagonistas de um duelo em busca da segunda colocação", revela o site.

"Na ponta, ia Luiz Pereira Bueno, com seu protótipo Bino. Camilo mantinha a segunda posição até a penúltima volta , quando foi ultrapassado por Toninho na curva do Pinheirinho, arrancando aplausos da torcida. Na segunda bateria o resultado foi: Luiz Pereira Bueno em primeiro, Camilo em segundo e Toninho em terceiro".

8 comentários:

Luís Augusto disse...

O Toninho é mesmo uma grande figura. De vez em quando aparece nos encontros de antigos aqui em BH.

Bruno Santos disse...

Opa, esse é aqui da terrinha. Toninho merecia mesmo maior sorte - uma carreira internacional. Não conseguiu isso, mas se tornou referência nacional. Bem bacana o texto, Felipão.
Abraço.

Joel Marcos Cesetti disse...

Parabéns pela reportagem, muito bom post lembrando um dos maiores pilotos.Conheci o Toninho correndo em Interlagos era fantástico vendo-o pilotar.


abs

Teca disse...

Ah... muito boa a história do Toninho!

Bom conhecer um pouco mais vindo aqui...

Beijos.

Marcos Antônio Filho disse...

legal mas uma história q fico conhecendo pelo Blogsport!

GP Oficina Mecânica disse...

Muito bonita a foto heim...

E a história então... eu não conhecia, talvez meu pai conheça, mas nunca me contou...

Carlos Eduardo Szépkúthy

Daniel Médici disse...

Lindo post! Não duvido nada desse pessoal que correu com Emerson, Wilsinho e Pace. Com certeza se dariam bem na Europa.

De Gennaro Motors disse...

HAHAHAH esses Opalas eram o maximo...meu pai q fala!