domingo, 10 de maio de 2009

Button, mais uma vez

Recapitulando.

Inicialmente, a Brawn adotou estratégia de três paradas para seus dois pilotos, por medo do desgaste excessivo do composto mole. No entanto, no transcorrer da corrida, mudaram a tática de Button para duas paradas.

Nesse momento, poderiam ter adotado a mesma opção para Barrichello (foto), que liderava a corrida com um carro mais pesado. Afinal, Massa havia superado Vettel, talvez, o maior adversário da Brawn para o GP da Espanha. Portanto, a estratégia inicial já não era mais necessária.

E, assim como no Bahrein, a tática montada para o brasileiro não funcionou. E pelo mesmo motivo. Barrichello não conseguiu, durante o segundo e o terceiro stint, a vantagem necessária para garantir a vitória.

Como em outras oportunidades, faltou pegada ao brasileiro, que não consegue manter sua regularidade durante a corrida. Seu rendimento cai assustadoramente no terço final das corridas. E a Brawn sabe disso.

Sem contar que não conseguiria voltar a frente de Vettel e Massa após seu segundo pit-stop. E, como prova de seu ritmo burocrático, não chegou a ameaçar estes dois concorrentes. Pelo rádio, tentavam motivar Barrichello com os resultados de uma simulação de tempo. Deveria acelerar mais.

Logicamente, era muito mais fácil ganhar a corrida com duas paradas. Por isso, no final, chegou a treze segundos de seu companheiro de equipe, o inglês Jenson Button - o vencedor.

What can i do???

Na Ferrari é assim. Não sabem fazer contas. Tanto que, depois de uma corrida irretocável, Felipe Massa teve que abdicar da disputa com Vettel pela quarta posição, em virtude da possibilidade de uma pane seca.

De quebra, ainda perdeu a quinta posição para Alonso.

Por outro lado, nem tudo está perdido. O carro mostrou uma grande evolução nesta corrida, mesmo sem testes. Possivelmente, a escuderia italiana irá brigar até mesmo por pódios nas próximas corridas.

Resta saber com qual piloto, por se tratarem de dois carros distintos na concepção do chassis. Na próxima, nas ruas de Mônaco, deverão abdicar do KERS.

12 comentários:

davidlazaf1 disse...

button imparable hacia el titulo, alonso carreron para el coche que lleva.

speed.king.thrasher disse...

verdade.. se pah KERS em Mônaco não deve ser um bom negócio...

Quanto ao papo da Brawn, é dificil saber se foi sacanagem ou falta de visão... o q ficou claro foi uma coisa a equipe esta dividida entre a parte de Jenson e a de Barrichello... vai dar pano pra manga em 2 semanas...

abs!!

Ron Groo disse...

Recaptulando.
Ross: -Três paradas para os dois... Vamos ver como se comportam os pneus.

Engenheiro: -Seu Ross, os pneus guentam só duas. Vamos avisar os caras?

Ross: -Avisa só o Button.

Eng.: -Mas e o outro...

Ross: -Ele já está acostumado...

Felipão disse...

heueueuhe

Ron... Não sei, mas acho que estão fazendo o Barrica de bobo.

Helio Herbert disse...

O Barrica continua sendo o melhor segundo piloto de toda história da F1...

Ingryd Lamas disse...

Resta saber se a Ferrari vai deixar seus pilotos brigarem por podios né, pq do jeito que tá, acho melhor mandar um professor de matematica da quinta serie de algum "ginásio" por ai, pra ensinar esse povo como soma-se, multiplica-se, divide-se e subtrai-se, acho que só isso funciona...
aaaaaa claro, uns frentistas pra dar técnicas de reabastecimento tb não ia mal...



bjooooos

F-1 A.L.C. disse...

evidentemente Barrichello não consegiu manter o ritmo de corrida, mais a estratégia não ajudou nem um pouco.

na Brawn a diferença de tratamento é clara. mais pode ser por causa do ingeniero de Rubens... quem sabe

Vettel fez uma pésima largada, mais correu bem, e ficou ameaçando felipe massa por muito tempo.

a Ferrari demostrou que não presta... tendo m carro de qualidade suficiente para chegar ao podio, comete erros muito grossos tanto com kimi quanto com Massa.

Daniel Médici disse...

Estranho é pensar, como disse o Galvão, que só Barrichello e Nakajima adotaram a estratégia de três pits. Se ela fosse realmente a melhor, não seria provável que mais alguém arriscaria...?

Luís Augusto disse...

Bem lembrado, Daniel...

Bruno Santos disse...

O composto mole não dura e o Button me faz quase 30 voltas com ele. Contaram história para o Barrichello e ele vai confiando.
Escolheram o caminho mais difícil para ele, mas talvez até goste. Seria o máximo, ser avacalhado e ainda vencer, mas não funciona assim. O ritmo que o brasileiro deveria impor era o limite extremo o tempo todo. Muito para o Rubinho, "e a Brawn sabia disso"
Abraços.

Felipe Maciel disse...

Lendo o post acabei lembrando do Nelson Piquet com toda aquela acidez, dizendo que "em corrida o Rubinho é muito lento". Realmente, se tivesse ritmo no meio da prova, poderia brigar pela vitória normalmente.

Hugo Becker disse...

Ficou a seguinte sensação: Lembra-se daquela máxima de que "O Barrichello, quando está em seu dia, é imbatível"?

Pois é, na Espanha ele estava em seu dia. E Button venceu. A idade já está começando a jogar contra Barrichello. Aconteceu com Piquet, aconteceu com Schumacher, aconteceu com Hakkinen. Pq não aconteceria com ele?