quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Automobilismo de verdade

Ingo Hoffmann aproxima-se da freiada para o Pinheirinho durante os treinos de qualificação para a etapa de Curitiba do Brasil GT3 Championship (15/nov/2008). Foto: Janus.

Sei que falei pouco de GT3 nesse ano.

E, para me redimir, pedi ao Janus, blogueiro e companheiro de Bestlap, que escrevesse um pouco sobre a categoria.

Felizmente, ele foi além, falando um pouco do Gallardo que ilustra o post.

Aliás, foto de sua autoria.


"A temporada de estréia da GT3 brasileira, a de 2007, começou com um domínio quase que absoluto das Lamborghini Gallardo. A tal ponto que a dupla Xandy Negrão/Andréias Mattheis, que começara a temporada com um Viper, após apenas 4 de um total de 10 corridas, optou por uma troca pelo modelo italiano. Nas últimas etapas, porém, ao constatarem a fragilidade das Lambos em climas quentes e pisos abrasivos, acabaram retornando ao Dodge, modelo com o qual se tornaram campeões. Esse desempenho "cavalo paraguaio" da Lamborghini durante a temporada acabou inclusive sendo apelidado entre as equipes da GT3 brasileira de "efeito Lamborghini".

Já na temporada de 2008, recém encerrada, o Lamborghini Gallardo perdeu um pouco de espaço para os estreantes Ford GT. Além disso, voltou a ser superada novamente pelo Viper nas colocações finais do campeonato. Mesmo assim, é ainda um dos carros mais competitivos do grid, e um dos mais bonitos também.

Com chassi e carroceria feitos de alumínio, o carro tem também algumas partes em fibra de carbono. O peso total fica 1238kg. O motor V10 de 90°, com bloco de liga leve, atinge potência de 535 cv a 7.800 rpm, com câmbio semi-automático de seis marchas sequenciais. Os números impressionam, mas dizem pouco quanto à comparação com seus concorrentes. Para isso, veja aqui um quadro comparativo entre os carros da GT3 brasileira no site oficial da categoria.

Lançado em 2004 como um concorrente para a Ferrari 360, atualmente o Lamborghini Gallardo concorre com a sua sucessora, a Ferrari F430, tanto no mercado de supercarros quanto nas pistas da GT3. Curiosamente o novo Audi R8, anunciado pela construtora alemã como sua representante na GT3 para 2009, é também construído sobre a plataforma do Gallardo.

Outra curiosidade é que, além das pistas da GT3 e das ruas e velozes "autobahns" européias, o Gallardo é também conhecido como o "carro de polícia mais rápido do mundo", sendo utilizados pela polícia rodoviária italiana, além de já terem sido temporariamente usados pela polícia inglesa".

5 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

Ótimo trabalho,e também um belo carro pena que toda vez que assisto a Gt3 o Ingo quebra e não vejo o show DO Alemão.

abs.

Luís Augusto disse...

Por que a GT3 tem espaço tão pequeno na mídia? Será que ninguém entendeu que é esse tipo de corrida que queremos ver?

Ingryd Lamas disse...

ô coisa linda!!!!
esses carangos me tiram o folego! uhauhauhauhauh

"Por que a GT3 tem espaço tão pequeno na mídia? Será que ninguém entendeu que é esse tipo de corrida que queremos ver?"

pois é, vai saber neh...

Ron Groo disse...

O texto do Janus é ótimo!
E o titulo resume bem: Automobilismo de VERDADE!
Parabéns ao Janus pelo texto e ao Felipe pela idéia de colocar ele no ar.

Gustavo disse...

Realmente os carros da GT3 são lindos e é o tipo de automobilismo que deveria atrair muito publico pelo seu poder aspiracional.
São as super máquinas de sonho lutando pela vitória.
Porém acho que é uma categoria desequilibrada os alguns andam muito mais que os outros, caso do Ford GT