sábado, 15 de novembro de 2008

O Porsche que matou James Dean

Fanático por corridas, o ator James Dean aceitou participar de uma corrida na cidade de Salina, onde estrearia seu novíssimo Porsche 550. Inclusive, foi dirigindo ao evento, para compreender melhor o comportamento do bólido. Depois de uma hora de viagem, em um cruzamento na cidade de Cholame, avistou um Ford Custom Tudor vindo na contramão. James começou a gritar e gesticular, mas Donald Turnupseed, o motorista do outro carro, não viu o Porsche e os dois bateram.

O mecânico Rolf Wuetherich, que acompanhava Dean, ficou apenas ferido, enquanto o ator acabou falecendo a caminho do hospital. Por uma ironia do destino, o motorista do Ford Custom nada sofreu. Posteriormente, a seguradora vendeu o carro sinistrado, designando George Barkuis para buscá-lo de caminhão. Porém, o Porsche caiu do caminhão, matando o motorista. A partir disso, muitos passaram a acreditar que o Porsche carregava uma espécie de maldição.

Cético, George Barris, um especialista em carros para "Hollywood", preferiu não dar ouvidos e arrematou o carro por US$ 2.500. Logo que chegou à sua oficina, o carro se soltou do caminhão e seccionou as pernas de um mecânico. Após o episódio, Barris passou a sentir estranhas sensações enquanto separava as peças do carro. Mesmo assim, vendeu o motor para um médico de Beverly Hills, que morreu na primeira vez que utilizou o propulsor. O câmbio foi comprado por William Eschrid, que sobreviveu a um violento acidente. Recuperado do trauma, revelou que seu Porsche travou, sem nenhuma explicação.

Um jovem, que havia adquirido as rodas, sofreu um gravíssimo acidente. E a história não termina por aí. Em uma corrida internacional, um garoto tentou roubar o volante do Porsche de Barris (que havia pertencido a Dean) e cortou o braço. Depois de tantas "coincidências", Barris queria se livrar do carro. Por isso, empresta a carcaça do Porsche à polícia da Califórnia, para que fosse exibida como exemplo de imprudência no trânsito. No dia em que as autoridades apareceram para buscar o carro, a garagem que guardava o Porsche estava em chamas. Misteriosamente, o Porsche de Dean se salvou, ao contrário de todos os outros carros estacionados no local.

Durante a exposição, em Sacramento, a carroceria caiu da estrutura e feriu seriamente um adolescente. Na volta a Los Angeles, o caminhão que transportava o carro patinou na pista e bateu, matando o motorista. Em 1958, Barris emprestou a carroceria do Porsche para uma amostra sobre segurança veicular, em Miami. No entanto, o carro desapareceu misteriosamente durante o caminho. Inclusive, o paradeiro do "Little Bastard" é desconhecido até hoje. Em 1981, Rolf Wuetherich morre em um acidente automobilístico na Alemanha, quando dirigia um Honda.

14 comentários:

oliver disse...

Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay

Luís Augusto disse...

Yo también!

Daniel Médici disse...

E eu pensei que estava seguro apenas por ficar longe da tumba de Tutancâmon...

Inegável essa maldição (postulado que tudo o que está escrito seja verdadeiro). Mas essas vítimas me parecem muito idiotas.

Pensa bem: você pega uma parte qualquer de um carro que deu uma porrada violenta, que você sabe que ocorreu, coloca no seu carro e sai para dar uma volta. Isso é estúpido.

Ron Groo disse...

Senhor Felipão...
Visto que o senhor se dignou a postar aquele que considero o seu texto mais brilhante, e que coube a mim a honra de publica-lo pela primeira vez no Mondo Interativo... Eu só tenho uma coisa a dizer...
PQP, É DO CARAMBA ESTE TEXTO!!!!!!

Teca disse...

Felipão, uma das histórias mais espetaculares que li aqui...

Caramba! Que maldição!

Parabéns!

Beijos admirados.

P.S. O Oliver e o Luis mudaram até a fala... ahahahahahahaha

Fábio Andrade disse...

Que medo desse carro [batendo na madeira].

Eu hein...

Rianov Albinov disse...

PO Felipão,

Como é que eu vo durmir hoje!To com medo.
Nessas suas anotações, tem algumas maldição para quem lê o texto?

hauhauahuhaua

Parabéns!

Felipão disse...

hahahahaha

fiquem tranquilos que não é mal agouro não

huahuahauua

Paulo Maeda™ disse...

Ai que meda que deu agora (batendo na madeira tb) ....rss

caramba pessoas, que maldição essa hein.

Parabéns Felipão

Mauricio Morais disse...

Como dia Cid Moreira..."MIISTÉÉÉÉRIOOO". Cruzes.

F-1 A.L.C. disse...

o parachoque dianteiro foi dar no carro de kovalaien em montmeló?





que historia boa!!! parabens!

Gustavo disse...

Macabro!
Mas ainda ssim acho esse modelo super bacana, tem um identico à venda, mas muito caro, maldição!

gabriel medeiros disse...

Isto non ecziste!

Carro do capeta, gézus.

hahahaha

Belo artigo, Felipe!

egon disse...

eu notei q falta uma parte da historia:antes de bater a ultima coisa q james dean falow foi ele tem nos enxergar! putz macabro.