segunda-feira, 8 de março de 2010

Jornal alemão revela o que há por trás da Stefan GP

Contando com o apoio do dono dos direitos comerciais da Fórmula-1, o inglês Bernie Ecclestone, a badalada Stefan GP acreditava que herdaria a vaga deixada pela USF1.

"Zoran Stefanovic"

A FIA, no entanto, optou por um Campeonato com apenas 12 equipes e simplesmente ignorou os últimos apelos da equipe de propriedade de Zoran Stefanovic.

Muitos, então, passaram a especular que tudo não passou de uma retaliação da entidade à inclusão de Mike Coughlan e Dave Ryan no staff técnico da equipe sérvia.

Coughlan, para quem não lembra, era o receptador dos arquivos da Ferrari enviados por Nigel Stepney.

Ryan, segundo a McLaren, foi quem induziu Lewis Hamilton a mentir para os comissários de pista do Grande Prêmio da Austrália de 2009 no caso que levou à desclassificação de Jarno Trulli – depois, o italiano teria sua pena revogada.

Mas o jornal alemão "Express" entende que a FIA tomou essa atitude em razão dos negócios nebulosos da proprietária da Stefan GP, a empresa de engenharia AMCO.

Depois de consultar os registros de indústrias da Sérvia, a publicação descobriu que a AMCO Corporation foi criada em 2008 com um capital de 500 euros.

No ano seguinte, a empresa – que, segundo Stefanovic, teria trabalhado no desenvolvimento do foguete Ariane-5 e na construção de um avião não tripulado da Força Aérea Alemã - contava com apenas um funcionário e obteve um lucro liquido de 42,7 euros.

Diante dessas informações, um porta-voz do Ministério alemão da Defesa logo tratou de afirmar que não existe qualquer tecnologia da AMCO no projeto.

Dias depois, a Agência Espacial Europeia enveredou pelo mesmo caminho e negou qualquer envolvimento dos sérvios com o consórcio europeu responsável pela construção do foguete.

"Após uma revisão cuidadosa de nossos fornecedores, não conseguimos estabelecer um elo de nossa organização com a empresa sérvia AMCO".

A AMCO, por sua vez, entende que tudo não passou de um "mal-entendido" causado por uma “matéria sensacionalista baseada em especulações e má tradução".

"A informação correta é a de que um de nossos engenheiros participou da construção do motor de uma aeronave não tripulada para uma empresa alemã. Por outro lado, nossa empresa produziu, sim, há sete anos, peças para o foguete Ariane-5, e estamos muito orgulhosos disso".

3 comentários:

F-1 A.L.C. disse...

tá me lembrando a Leyton House, que era usada por um japonés para lavar dinheiro.

preocupante isso

Ron Groo disse...

Nunca achei que estes caras fossem confiáveis... Mas ainda assim queria vê-los no grid.

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado