segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O drama de Petrov

Durante as primeiras entrevistas como piloto de Fórmula-1, Vitaly Petrov fez questão de desmentir a informação de que o governo russo estaria por trás de sua contratação pela Renault.

Petrov, da Rússia

Segundo ele, seu pai, Alexander Petrovic, pediu um empréstimo junto a um banco de São Petersburgo para assegurar uma das vagas na equipe.

Apesar de não ter divulgado valores, rumores da imprensa russa davam conta que Petrov teria de pagar uma quantia de 7,5 milhões de euros, referente ao valor da primeira parcela, até março.

Depois de conversar, sem sucesso, com mais de 500 empresas, Alexander chegou a sugerir ao filho que desistisse da categoria. “Quando contei a Vitaly que não tínhamos conseguido o dinheiro e que era melhor esquecer a Fórmula-1, ele começou a chorar" disse.

"Quando criança" continuou, "ele nunca chorou, mas com esse choque, ele não pôde se segurar”.

Assim, pai e filho resolveram seguir o exemplo recente de Justin Wilson, que também financiou a própria estreia na Fórmula-1.

O problema, no entanto, é que a quantia da primeira parcela ainda está sendo analisada pelo banco. Caso o financiamento não seja aprovado, Petrov pode ser substituído por Takuma Sato.

4 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

Takuma Sato? Fiquei sabendo q ele fechou com a KV pra ser companheiro do Mario Moraes na Indy...

os custos de andar de F1 não diminuem e ainda querem ter bastante carros, po pagar 15 milhões de euros pra correr? pqp!

Willian disse...

Eu acredito que o Petrov fica na Renault.

Mas li por aí que o Villeneuve já estaria de olho na vaga...

Anônimo disse...

Xiii, Petrov!!! Tá russo, hein?!!

Leandro Montianele disse...

Nossa, como é caro para entrar na Fórmula 1. Coitado do Petrov, chorou porque queria entrar na categoria. Deve ter aprendido com um certo brasileirinho. Agora que entrou não pode chorar mais.