sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Alta confirmada

George Abecassis a bordo de um refinado Alta GP durante o Grande Prêmio da França do ano passado

Blogsport-Brasil, Abril de 1950

Mesmo com pouco dinheiro, a Alta Car & Engineering sempre mostrou grande capacidade em construir carros competitivos.

Com o fim da Segunda Guerra, o fundador da empresa, o inglês Geoffrey Taylor, começou a traçar um planejamento bastante arrojado, que incluía a disputa dos Grandes Prêmios mais importantes da Europa.

O construtor, inclusive, já confirmou presença na etapa de abertura do novo Campeonato Mundial de Fórmula-1, em Silverstone, como fornecedor de chassis, câmbios e motores dos pilotos particulares Joe Kelly e Geoff Crosley.

Como atestado da robustez desses carros, vale lembrar que o piloto John Heath venceu, a bordo de um Alta de Fórmula-2, a dificílima Manx Cup no ano passado.

7 comentários:

oliver disse...

Não sei porquê, mas tenho um pressentimento de que o Geoffrey Taylor tá com a "síndrome do rubinho", ou seja, alardear que os carros são muito melhores do que realmente são.

Mas é só um pressentimento.


hahahahaha



BOA, Felipão.

Bruno disse...

Que nomes são esses? Joe Kelly e Crosley? Não tinha piloto melhor dando sopa?

F-1 A.L.C. disse...

jejejejeje

o blog tá ficando imaginativo agora... gostei

Teca disse...

A complementação com as fotos tá show!

Beijos admirados.

Anônimo disse...

Sem os carrões alemães (Mercedes e Auto Union), a briga será entre italianos e britânicos?

Quem já está confirmado além da Alta GP?

Aliás, são belos carros esses da Alta GP. Mas o retrospecto do ano passado, 1949, não é dos mais promissores...
A Alta participou de 4 Grandes Prêmios mais o International Trophy, em Silverstone.
Como melhores resultados, dois sétimos lugares: George Abecassis no GP Britânico, em Silverstone, e Geoffrey Crossley no GP Belga, em Spa-Francorchamps. No GP francês, o da foto lá em cima, George Abecassis acabou abandonando por problemas na caixa de câmbio.
No GP holandês e no Int. Trophy desempenhos fracos.

Mas, corridas são corridas e com essa "novidade" chamada F1, tudo pode acontecer...

um abraço,
Renato

ziggy-jp disse...

E a promessa brasileira Francisco Landi?
Será que conseguirá um carro para competir nesse novo campeonato?
Afinal a belíssima vitória dele no GP de Bari de 1948 o coloca sem dúvida nenhuma no mesmo patamar dos outros pilotos em ação!
Excelente post e um grande abraço.

Felipão disse...

Viu, Iriarte??? hahahaha

Obrigado Bruno, oliver e Teca

Pois eh, Ziggy e Renato...

Ainda há um clima de indefinição às vésperas do Campeonato...

Mas eu acho que vem surpresa boa aí ainda hj...

uahauauaua