quinta-feira, 6 de agosto de 2009

E o futuro?

A partir do momento que a BMW anunciou sua retirada da F1, Peter Sauber passou a buscar alternativas para retomar o controle da equipe. No entanto, as exigências da montadora alemã foram altas, fugindo completamente das possibilidades do suíço. Assim, o time não participou da assinatura do Pacto de Concórdia, que daria à equipe parte dos lucros da televisão nos próximos três anos.

Período de transição: Felipe Massa e o C24 com motor Ferrari V10, em Interlagos, 2005

Desde 1993, quando criou a equipe com o apoio da Mercedes-Benz, Sauber trabalhou duro para construir uma das maiores estruturas da categoria. Investiu pesado em supercomputadores e na construção de um dos melhores túneis de vento da Fórmula-1. Acabou vendendo a fábrica em Hinwil com a intenção de preservar empregos e transformar a escuderia numa potência.

Depois, o C24 (híbrido), com algumas alterações e o motor BMW V8, em Jerez, pelas mãos de Nick Heidfeld

Por tudo o que aconteceu nos últimos dias, já era esperado que Sauber ficasse decepcionado e desconsolado. Afinal, não montou um esquema como esse para fechar as portas 3 anos e meio depois da associação com a BMW, que descartou até mesmo a opção de Management Buyout. Assim, a fábrica que é o seu maior orgulho agora corre o risco de ser abandonada.

Já em 2006, em Barcelona, o C24 estreia a pintura da BMW, novamente com Heidfeld

14 comentários:

Germano disse...

triste fim para quem foi grande...quem lembra do Grupo C sabe do que estou falando

Ron Groo disse...

Este é o lado triste da saida da montadora.
O trabalho e o investimento de anos de Peter Sauber jogados fora da noite pro dia.
e ainda se sentem no direito de fazer exigencias para que outro grupo ou pessoa assuma.

Felipe Maciel disse...

Eu gostava demais da Sauber, eita equipe simpática. A BMW era meio sem sal, mas chegou à pole e à vitória. Parecia que uma hora ou outra ia vingar. Mas aí vieram com essa. Se ao menos recolocassem o time na mão do Sauber, estaria perdoado, mas fizeram doce e não deixaram o Peter assinar o Pacto. Espero que seja vendida. Bem vendida, dessa vez, de preferência.

GP Oficina Mecânica disse...

É uma pena... realmente a BMW pisou na bola e decepcionou a todos com sua decisão...

Carlos Eduardo Szépkúthy

Ps.: Aquela história do chopp, só marcar!

Willian disse...

Como eu disse lá no blog do Felipe Maciel, é uma pena que isso aconteça.
Uma saída sempre é triste, mas essa se torna ainda mais pelas circunstância e pelo descaso da BMW.

Tohmé disse...

Felipão, acho que alguém vai comprar, de qualquer forma, o inventário da BMW.
Instalações, túnel de vento,...etc.

Coloca outro motor e pronto.

Paulo Maeda™ disse...

a Sauber marcou uma época, quem não se lembra dakeles carros coloridos com a ponta do bico amarelo (depois branco)e que por lá passaram vários ótimos pilotos uma pena msm o Sauber não ter conseguido e isso só prova o descaso da BMW.

Daniel Médici disse...

Não sou fã da Sauber desde quando ela firmou a parceria com a Ferrari, tornando-se uma equipe anexa, que fazia mais número no grid que diferença na pista. Gostei quando a BMW assumiu o controle, pois assim nascia um projeto real de uma equipe. Um projeto que faltava ao time de Peter Sauber desde 1994.

De Gennaro Motors disse...

uma pena ! fico chateado vendo as montadoras sairem !

oliver disse...

Vamos pensar.

Se o sauber não compra, nem o piquet.

Se a bmw não quiser vender, ninguém compra.

Mas o piquet, junto com um sócio, já disse que tem interesse.


E não faria isto por nada.

Rola mais coisa entre o céu e a terra que nossa vã filosofia é capaz de imaginar.

Loucos por F-1 disse...

Este foi um trsite fim. Gostava demais da equipe desde o tempo de somente Sauber. A BMW mandou muito mal ao sair e deixar Peter Sauber de mãos abanando. Essa é a parte ruim das montadoras, quando bem entendem vão embora e deixam todos sem o que fazer.

Abraço!

Leandro Montianele

Luís Augusto disse...

Absurdo o que fez a BMW; ninguém honra mais traidção nenhuma...

Francisco J.Pellegrino disse...

Vai fazer como a Honda, na hora H vende por 1 euro.Neste momento não tem tanta gente com dinheiro suficiente para bancar uma equipe competitiva de F1. O investimento para o ano próximo terá que ser muito grande para acompanhar a evolução dos concorrentes...

Joel Marcos Cesetti disse...

Acredito que a equipe volte como aconteceu com a Honda.

Belas imagens, dá para ver a evolução do carro no tempo.Muito bom.