sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Dificuldades da vida

1937 Donington Park - M. Von Brauschitsch (Mercedes W125)

Tudo indicava que o alemão Manfred Von Brauschitsch seguiria carreira militar, já que vinha de uma família com tradição no exército alemão.

No entanto, um acidente de moto fez com que fosse dispensado do serviço militar, pois havia fraturado crânio, braços, pernas e costelas.

Resolveu tentar a sorte no automobilismo, onde conquistou, logo na estréia, sua primeira vitória em uma corrida na Áustria.

A partir de 1934, depois de conquistar resultados bastante expressivos, foi contratado para correr na equipe oficial da Mercedes Benz.

Mas, infelizmente, um novo acidente, durante classificação para o GP da Alemanha de 1935, paralisou sua carreira.

Voltou no ano seguinte, em um cenário dominado pela Auto Union.

Deu a volta por cima somente em 1937, com o mesmo Mercedes Benz W-125 da foto.

Inclusive, venceu o legendário Rudolf Caracciola em Mônaco, contrariando ordens de equipe.

Tudo ia bem, até começar a guerra.

Durante esse período, serviu o exército alemão em um quartel de Berlim.

Após a guerra, viveu em dificuldades, já que suas terras passaram para o controle soviético.

Chegou a participar de corridas na Argentina, mas acabou se desentendendo com a organização local.

De volta a Europa, ficou preso durante seis meses, acusado de traição pelo governo da Alemanha Ocidental.

Em virtude dessa situação, sua esposa, bastante abalada, cometeu suicídio.

Excluído da sociedade, resolveu morar definivamente na Alemanha Oriental, onde participou do ministério de esportes daquele país.

Com a queda do muro, Von Brauschitsch voltou a ser um legítimo alemão, com todas as acusações sendo esquecidas pelos ocidentais.

Após muitas homenagens da Mercedes, morreu em 2003, aos 97 anos.

Foto postada pelo Janus, no Fove.

8 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

ótima história,ness época os corredores eram totalmente insanos,corriam sem nehuma estrutura de segurança,dependiam muito da sorte e Deus pra sobreviverem...essa foto resume a essência do automobilismo na época.

Luís Augusto disse...

o von Brauschitisch e o von Tripps foram dois nobres alemães que marcaram o automobilismo europeu. Por questão de detalhes, nunca foram campeões.

Luís Augusto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ron Groo disse...

O Daniel Medice me disse que este circuito de Donnington é um dos mais tradicionais, se não o mais da Inglaterra e que todo piloto legendário dos primordios do automobilismo e da F1 cinquentista correram lá e adoravam.
O Janus é uma aquisição e tanto para o fove!

Teca disse...

Eita! Bom demais! Que história...

E, quanto ao Janus, concordo com o Ron. Tenho visto boas postagens por lá.

Beijos.

oliver disse...

O Felipe conhece tudo sobra qualquer época, piloto e carro.

Consegue expor história interessantíssimas de forma clara e concisa.

Parabéns.

Janus disse...

Pô, obrigado pelos elogios, mas eu só postei a foto, nada mais né. Aliás, se não me engano peguei ela no antigo tbk, mas infelizmente não me lembro quem escaneou ou postou lá. O que me lembro é que ela é de um livro, e isso me leva a pensar, sempre, em porque não temos livros como este no Brasil? Bom, a gente sabe porque, claro, custos, pouca procura, blablablá. Mas é uma pena que livros com fotos históricas sobre automobilismo sejam tão raros. E quando são lançados logo esgotam e se tornam artigo raro, mesmo sendo vendidos a preços altíssimos. Pena mesmo. (olhando melhor a foto, pode ser que seja de uma revista na verdade, mas isso não muda o que eu penso sobre os livros)

Quanto ao circuito de Donington, depois que o Ron comentou fui dar uma pesquisada. Realmente é um circuito bastante antigo, foi inaugurado em 1931, mas após o início da 2ª Guerra em 1939 não foi mais usado. As atividades automobilísticas só foram retomadas nos anos 70, portanto quase 40 anos depois! O traçado, inclusive, foi um pouco modificado. Ainda indo ao encontro do que o Marco Antônio disse, de fato os caras tinham que ter algo mais pra correr. Achei mais essa foto, também do Von Brauchitsch, do mesmo GP de 1937. Correr por entre essas árvores, e aqueles postes de luz da outra foto ... nem precisa falar muito...

Por fim, sobre o próprio Manfred, belo texto Felipe! Nunca tinha lido muita coisa a respeito dele, pra ser sincero, mas é interessante perceber que um cara que correu com Nuvolari (que morreu em 1953, já com mais de 60 anos) ainda chegou a ver Schumacher ser penta-campeão, assim como nós.

Felipão disse...

Que maravilha, Janus...

Belíssimo complemento...

Valeu pela visita...