sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Veni vidi vici

Antes de qualquer coisa, queria muito agradecer ao oliver e Gabriel pela atualização no blog, neste período que estive em Recife.

Sem palavras galera, os últimos posts ficaram incríveis.

Aliás, vou falar um pouco sobre o tabagismo na F1, inspirado nesse post do oliver, já que a Marlboro combina e muito com a atmosfera do circo da F1.

As famosas palavras do título desse post, proferidas por Julio Cesar, podem ser encontradas no logotipo da Phillip Morris.

A Marlboro iniciou sua trajetória vitoriosa na F1 como patrocinadora pessoal do piloto Jo Siffert, da BRM.

Depois da morte do piloto suíço, em 1971, estenderam o investimento para os carros da equipe.

O acordo coincidiu com um período de declínio da equipe.

Ciente dessa situação, a Marlboro se mudou para a McLaren, formando uma das parcerias mais bem sucedidas da Fórmula 1.

Atualmente, a empresa patrocina a Ferrari, única equipe a contar com o patrocínio da indústria do tabaco.

No passado, Jean-Pierre Beltoise deu um verdadeiro show no GP de Mônaco de 1972, exibindo as cores da Marlboro, debaixo de um verdadeiro dilúvio.

Naquela oportunidade, Beltoise superou Fittipaldi e Ickx na largada, dando um "banho" na concorrência, em uma apresentação de gala.

Aquela seria a única vitória de Beltoise na F1 e a última da história da BRM.

8 comentários:

Ron Groo disse...

Mais uma que aprendo...
Vini, vidi e aprendi! (pessima esta)

Joel Marcos Cesetti disse...

Bela história também não conhecia.
Ahistória do Ascari também é muito boa e com detalhes.

VALEU!

ABS

Felipão disse...

Valeu galera!!!

speeder_76 disse...

Olá galera, só passando pra me despedir. estou indo pra uma aventura nova e infelizmente não vou poder visitar frequentemente. Fica um abração a todos aqui e continuem com o blog, quem sabe um dia volto.

Teca disse...

Que bacana, Felipão!

Gosto de vir aqui aprender com essas histórias.
São todas ricas e bem escritas.

Beijos.

Marcos Antônio Filho disse...

O Grande detalhe é que Beltoise sofreu um grave acidente nos anos 60 e quebrou seu braço direito em várias partes,e ele teria sérios problemas em movimentar esse braço.Abandonar a carreira?Não. Beltoise simplesmente pediu pra "ajeitar" seu braço quebrado de um maneira que coubesse no cockpit e facilitasse uma pilotagem sem fazer movimento bruscos.Esse amava o que fazia.

Abraços,seu blog agora com Oliver e o Nabuco está de primeiro nível!

Felipão disse...

Valeu, Marcão!!!

E muito bem lembrada essa do Beltoise...

Mauricio Morais disse...

Felipão realmente a parceria de vocês tornam este blog muito bom. Vocês estão batendo um bolão, parabéns continuem assim.