terça-feira, 21 de outubro de 2008

O Último dos Monstros

Recebi o "material" já pronto. Da Teca.

Esta imensa e surpreendente amiga.

Obrigado, Teca.



Era abril de 1969. Stuttgart.

25 automóveis alinhados no pátio.

Apenas um número pintado na carroceria: 917.

Um novo bloco de 12 cilindros e 4500 cc afirmando definitivamente a marca alemã nas provas de resistência.

Sua Gênese foi possível graças às assustadoras apresentações de protótipos com 7000 cc na temporada de 1967, originando um novo regulamento que limitava as cilindradas a 3000 cc.

Paralelamente foi criada a categoria especial sport, vigorando até 1971, até 5000 cc, para não desencorajar os americanos amantes de grandes e possantes motores.

Após diversas afinações, chegou-se ao 917 K – versão curta e que deu muitas vitórias, e ao 917 L – versão longa usada em circuitos velozes, como Le Mans, chegando aos 380 Km/h.

O 917/20 foi uma versão melhorada das anteriores e batizada de Pink Ping por causa da decoração original. Teve uma aparição fugaz nas 24 horas de Le Mans em 1971.

Banido das provas do Campeonato do Mundo da Resistência, após o período de transição do novo regulamento, o Porsche 917 encontrou guarida nas provas de Can-Am devido aos primeiros motores turbo, atingindo a potência espetacular de 1200 HP durante a temporada de 1973.

Definitivamente, era o “último dos monstros”.

8 comentários:

Luís Augusto disse...

O último e o maior deles, sem dúvida.

Felipão disse...

verdade, luís...

Bravoooo Teca!!!

Sensacional

Marcos Antônio Filho disse...

Realmente sensacional,esse carro é um dos mais lindos da história na minha opinião.

Teca disse...

Ah... o oliver...

Obrigada vocês que tanto me inspiram...

Beijo amoroso.

Anônimo disse...

Quando o assunto é provas de resistencia ou Le Mans ,o 917 sempre sempre será lembrado.

Lembro do prototipo Intrepid-Chevrolet que correu na IMSA no inicio da decada de 90 ,tinha um motor V8 de oito litros e até foi competitivo mas caiu no esquecimento.

Os americanos devem se morder quando veem que a fama de brutal ficou com um Porsche e não com um de seus Big Block.

Jonny'O

Joel Marcos Cesetti disse...

Ótimo post do 917 o monstro sagrado.

Não podemos também esquecer dos 956 e 962 no qual o Senna pilotou em 1986.Veja no link abaixo uma reportagem excelente do porsche 956/962.
ABS.

http://www.porsche.com/filestore.aspx/default.pdf?pool=brazil&type=download&id=clubnews11-01-pdf&lang=pt&filetype=default

Teca disse...

Ôpa! Beleza, Joel!

Vou dar uma "espiada"...

Abraço!

Mauricio Morais disse...

Teca, nunca é demais ouvir um pouco de histórias do 917, "O CARRO DE CORRIDAS".Belo texto.