quarta-feira, 24 de junho de 2009

Mosley dá adeus à FIA, pela porta dos fundos

Enfim, a novela acabou. E com um final feliz para as equipes dissidentes, que aceitaram uma redução gradativa nos custos da categoria para os próximos anos. Por outro lado, Max Mosley foi o grande derrotado na reunião do Conselho Mundial, com um acordo que o proíbe, desde já, de exercer seu cargo de presidente da FIA em assuntos relacionados à F1. Além disso, o dirigente foi obrigado a abrir mão de sua candidatura à reeleição para evitar o racha.

Nesse período de transição, as negociações serão lideradas por Michel Boeri, presidente do senado da FIA e comandante do Automóvel Clube de Mônaco. Assim, com a descentralização do comando da F1, qualquer mudança nas regras técnicas ou desportivas deverá ser aprovada por um grupo de trabalho formado pela Fota, para depois ser discutida entre os comissários da F1 e pelo Conselho Mundial.

Será assinado ainda um novo Pacto de Concórdia, oficializando a permanência das equipes na F1 até 2012. Por fim, as escuderias concordaram em ajudar as novatas US F1, Manor e Campos com auxílio técnico. Agora, a FIA não manda mais nada. Tudo está nas mãos das equipes e das montadoras, que "vêm e vão conforme suas vontades".

4 comentários:

Luís Augusto disse...

Sei não, acho que o Max ainda tem cartas na manga. Além disso, ele já tinha dito que não iria se reeleger antes do racha.

Ruy disse...

Vamos ver onde tudo isso vai parar. Tomara que a F1 não perca seu brilho. Abraços e belíssimo blog!

Loucos por F-1 disse...

Felipão, parece que mais uma novela chegou ao fim. Mosley colocou o rabo entre as pernas e saiu de cena. Mas não podemos tirar os olhos desse velho maluco.

Abraço!

Leandro Montianele

Paulo Maeda™ disse...

Mosley jah tinha dito mesmo que "se a paz fosse restabelecida, ele não se reelegeria". Mas tow vendo que ele não é nada bobo msm e já falou q concorre pois "é a FIA quem decide o novo presidente..." Mais um capítulo dessa novela, ao menos não tem mais o racha. Flw