sábado, 22 de novembro de 2008

Macabro

O austríaco Jochen Rindt, único campeão póstumo da F1, morreu pilotando um clássico Lotus 72C, durante a classificação para o GP da Itália de 1970.

E, com o que sobrou do carro, fizeram uma espécie de mausoléu macabro.

Nestas fotos, percebe-se que existem outros itens da extinta equipe, além de rodas e um pôster na parede da garagem.

Descoberta do "arqueólogo" Adriano Favetta.

10 comentários:

Teca disse...

Sinistro...

Beijos.

Speeder_76 disse...

Agora percebem porque é que a Williams, mal ficou com o que restava do FW16 do Ayrton Senna, destruiu o carro? É para evitar este tipo de mausoléus...

Luís Augusto disse...

Acho esse tipo de colecionismo do mais profundo mau-gosto...

Mauricio Morais disse...

Muito esquisito. E foi uma vitória do jovem Emerson Fittipaldi que deu os pontos para o companheiro morto, certo?

Daniel Médici disse...

Uau...

Não vejo mau nesse tipo de homenagem... mas eu não gostaria de acordar todo dia e ver a Lotus que matou Rindt no quintal.

Felipe Maciel disse...

Nossa, que achado, rapaz...

Janus disse...

Sempre acho estranho nessa foto os pneus Avon, já que a Lotus à época corria de Firestone ...

Felipão disse...

Verdade, Janus...

Se bem ´que a Avon é a única empresa que faz esses pneus sob medida, para clássicos...

Valeu pela visita

Felipe Playmobil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Rindt foi campeão póstumo em 1970 e Emerson Fittipaldi ganhando seu primeiro GP em Watkins Glen deu ironicamente o título para Jochen. Para quem não sabe , nos treinos de sexta feira Emerson bateu o Lotus 72 do Rindt e ao voltar para os Box achou que estava demitido. Ficou chateado e voltou para o Hotel depois de levar uma leve bronca do Collin Chapman. Na manhã seguinte , no sábado fatídico, tomou café da manhã com Rindt no hotel e este convidou Emerson para ser o piloto de sua equipe de F2 que tinha como sócio Bernie Eclestone.Rindt pensava em parar de correr em 1971.Desta forma seguiram para o autódromo de Monza e lá aconteceu o que ninguem poderia imaginar. Emerson se sentiu culpado pela morte de Rindt pois arrebentou o carro dele no sábado e teve que ceder seu Lotus 72 para Rindt no sábado.O carro do acidente era do Emerson.Nos treinos de sábado Emerson andou com o Lotus 49.