sábado, 10 de abril de 2010

O peso da experiência

Rubens Barrichello ficou parado no grid, em sétimo, na sua melhor colocação pela Williams. “Entrou o ponto morto, eu acionei a embreagem, tentava engatar a primeira e nada”, disse. Conseguiu largar, mas, depois de uma corrida discreta, acabou em 12.º


Mesmo assim, foi bastante elogiado por Sam Michael, que, de maneira correta, ignorou a brincadeira do "porcaria de carro" e ainda contou detalhes da tensão gerada pela chuva na classificação do GP da Malásia.

Para ele, o veterano é melhor do que alguns campeões mundiais. "A temporada ainda está no início, mas tenho que dizer que ele é um dos melhores pilotos com quem eu já trabalhei. Ele sabe o que é importante para tornar o carro mais rápido”.

"Para ser honesto, eu não trabalhei com ninguém tão bom quanto ele desde quando trabalhei com Frentzen e Hill quando eu estava na Jordan há 12 anos. Essa foi a última vez em que estive com caras desse calibre. Ele realmente é muito impressionante”.

"Nós imaginamos que ele seria bom, mas ele tem superado bastante as nossas expectativas. E isso vale para todos na equipe, Adam [Parr], Patrick [Head], Frank [Williams] e a mim. O cara está em um nível realmente especial”.

“O que provavelmente nos surpreendeu mais foi o que nós pensamos: ‘Como esse cara não foi várias vezes campeão do mundo?’, porque ele é melhor do que alguns que foram campeões. Há sempre uma fase de lua-de-mel, mas, até agora, é uma parceria perfeita.”

“Rubens foi muito útil [na classificação]. Todas suas opções de pneus estavam corretas. Eu estava entrando em pânico no Q2 com ambos os carros com intermediários, só Petrov, Michael [Schumacher], Rubens e Nico estavam com esses pneus, os outros estavam com extremos, então eu estava muito preocupado com isso.”

“Quando Rubens saiu do pit lane, ele disse: ‘Droga, está muito molhado’, e então ele virou na curva 7 e falou: ‘Estamos definitivamente com os pneus certos. Ele sabia disso em sua volta de instalação e eu estava confortável”.

4 comentários:

Marcelonso disse...

Felipão,

Barrichello decididamente não é um piloto ruim,diria que está dentro da média,afinal de contas entrar no seleto grupo desses pilotos não é facil, mas coloca-lo acima como disse Sam é forçar a amizade.

Toda vez é a mesma história na largada,ano passado foram umas três se não me engano,uma hora é o sistema que é complicado,outra é a borboleta,tem também a embreagem,ah sim aquela peça que fica atrás do volante...

São inúmeras as desculpas,claro que muitos foram mecanicos os problemas,mas em alguns ele errou e como de hábito nunca assume,isso é que trabalha negativamente em sua carreira.

É obvio que o cara tem bem ou mau uma bela história dentro do automobilismo,é "biiilionário",mas não tem o essencial para um piloto que permaneceu tanto tempo na categoria,o titulo!

abraço

Marcos Antônio Filho disse...

barrica não é ruim,mas 80% das declarações qu eele dá poderiam ser evitadas e quem sabe assim ele teria o valor dele reconhecido por todos que admiram a F1...

Ridson de Araújo disse...

Realmente Rubens tem um problema em admitir erros, mas eu não vi erro nessa vez não. Claramente o sistema de embreagem da Williams deu pau nos dois carros, e mais acentuadamente com a do Rubinho.

Na Brawn, era uma estratégia arriscada, que ele sabia q era arriscada, e que tinha culpa no processo, mas que não era só dele.Um câmbio que pula mais rápido é uma faca de dois legumes. Entretanto, historicamente o cara faz grandes largadas, e muitos só lembram das largadas ruins. Memória seletiva muitas vezes prejudica a compreensão dos fatos.

Ron Groo disse...

É que o Sam Michael é engenheiro 1B também...
Dizer que o boquirroto está no nivel dos melhores que ele já trabalhou foi o que deu a verdadeira tônica do discurso: H.H. Frentzen e Damon Hill.

Depois disse que com um carro bom o barricas seria campeão mundial.
A Ferrari era ruim?
E a Brawn? Era?

Sam Michael gosta de uísque paraguaio, em detrimento ao escocês.